Recebi o “Diagnóstico” e agora?

Por Luciane Cadan

Nem sempre é fácil receber o diagnóstico de uma doença, seja ela aguda ou crônica. Normalmente vem aquela pergunta: – E agora?

Bom, desde a minha infância convivendo com o diabetes mellitus tipo 1 (tomo insulina algumas vezes ao dia todos os dias), nossa já se foram 31 anos com ele que, as vezes acho que é meu filho mais velho. Rsrsrs

Mas vamos voltar para nossa pergunta: – Recebi o “Diagnóstico” e agora?

A primeira coisa que passa para muitas pessoas são questionamentos do tipo:

– como será a partir de agora?

– o que vou perder com isso?

– nunca mais terei qualidade de vida?

– nunca mais vou poder fazer isso ou aquilo?

O “NUNCA” aparece com tanto poder que é assustador, quando não devastador. O pessimismo toma conta e não se vê uma luz no fim do túnel.

Reprodução Internet

As doenças crônicas podem durar um tempo determinado ou durar a vida toda, já que muitas ainda não tem cura, somente tratamentos contínuos para o controle da mesma. E o stress, a preocupação e o medo chegam juntos tornando  um fator que pode ser prejudicial ao bem-estar e a qualidade de vida. Muitas doenças afetam a parte física, mas também os efeitos podem ser emocionais e psicológicos e estes podem influenciar diretamente no tratamento e controle da doença.

As mudanças provocadas na vida da pessoa podem ser variadas, desde o estilo de vida até mesmo o seu posicionamento social, muitas vezes.

Fatores importantes a serem considerados quando existe o diagnóstico:

  • Autoconhecimento e conhecimento sobre a doença. Quanto mais informações, melhor.
  • Ter um médico ou uma equipe de saúde de confiança. Aquela que você se identifica com ela e se sente seguro.
  • Ter um grupo de apoio. Seja na família, na escola ou no convívio social. Isso ajudará você não se sentir tão sozinho em muitos momentos.
  • Praticar uma atividade física regular. Encontre a que melhor se adequa a sua condição e, muito importante, que seja prazerosa.
  • Tenha uma alimentação equilibrada. Tudo com muito bom senso. Procure ajuda especializada, isso faz muita diferença.
  • Tenha um sono de qualidade. Estudos apontam que quanto mais qualidade tem o sono, maior os benefícios para a saúde e prevenção de doenças.
  • Reconhecer e aceitar que, durante o tratamento, poderão haver dias bons e dias não tão bons, mas você pode escolher a forma de conduzir, positivamente ou negativamente, tudo é uma questão de escolha.
  • Lembre-se que a doença só é uma parte de você e veja que outras partes continuam saudáveis. Reveja seus papéis, o quanto você é importante para as pessoas, como você é um bom amigo(a), filho(a), pai, mãe, esposa, marido, etc.

O Health Coach ou Coach de Saúde chega para ajudar a pessoa a entender melhor o processo da doença e muito mais que isso a ter autoconhecimento e entender que outras partes do seu corpo, do seu “EU” estão saudáveis e pode sim ter mais Qualidade de Vida e Saúde, através de mudanças de hábitos, comportamentos e até pensamentos.

Atendo muitos diabéticos como eu e um feedback comum é: – Como é bom conversar com pessoas que tem o mesmo problema que o meu, pois você entende muito bem o que estou sentindo. Conhecer pessoas que passam pelos mesmos desafios nos traz acolhimento.

Atender pessoas que tem uma doença crônica é uma das minhas grandes paixões, pois podemos sempre aprender juntos a superar os desafios que estão no caminho e os que ainda podem aparecer de uma forma mais alegre e positiva. Isso não é somente para quem tem a doença crônica, mas para todos.

Integrar especialidades, trabalhar a interdisciplinaridade, andar de mãos dadas para um único objetivo, o bem-estar e a qualidade de vida do paciente, esse é um dos papéis do Coaching de Saúde, além de ajudar o paciente a ver a vida de uma forma diferente, através da Psicologia Positiva, mostrar que todos nós temos muitos pontos fortes, habilidades e talentos que muitas vezes nem sabemos que existe. É ter foco no melhor sem deixar de cuidar daquilo que não está tão bom naquele momento. É transformar crenças limitadoras em forças positivas para superar os desafios do dia-a-dia.

Luciane Cadan – Professora por formação, Master Coach especialista em linguagem Ericksoniana e pós graduada em Psicologia Positiva.

Master Coach Certificada e Credenciada pelo IBC – Instituto Brasileiro de Coaching com as seguintes titulações: Professional and Self Coach, Coaching Ericksoniano, Analista Comportamental. Certificação Internacional de Coaching para Pais pela The Parent Coaching Academy, Inglaterra.

Coautora no “Livro Coaching para pais” – Estratégias e Ferramentas para a harmonia familiar.

%d blogueiros gostam disto: