Mãe: alguém melhor para o mundo !

Por Maria Claudia Aravecchia Klein

Fotos: Carol Agulha

A artesã Daniela Mateus da Costa Santana tem 44 anos de idade.

Filha de Luciolga Santana, a nossa mamãe convidada tem três filhas: Maria Eduarda, 22, Isadora, 21 e Olivia, 14.

Quando a questionei sobre o que sua mãe representava pra ela, olha a resposta: “desde a minha infância até hoje é força. Minha mãe é o exemplo de força e energia mais concreto que tive na vida! Ela e minhas tias tiveram uma infância muito difícil, meio nômade. Minha avó morreu de câncer, quando minha mãe ainda era adolescente. Então, ela cuidou dos irmãos menores. Uma mulher que a vida tornou incrivelmente forte“, conta Dani.

“Tornar-me mãe foi me abrir para um mundo de descobertas…uma vida desconhecida..rs. Com 21 anos, descobri os prazeres e agruras de uma amor sem medidas. Ser mãe foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida“.

Segundo ela, a maior emoção, como mãe, é concluir etapas com as filhas. “Cada pequena conquista, cada fase alcançada é uma vitória nossa. Mãe vive num carrossel de emoções, não é? Não tenho como apontar um só momento…cada conquista delas é uma enorme e única emoção“.

“São quase 23 anos de vida como ‘mãe’…são varios perrengues desde então. Mas considero um momento muito difícil o nascimento da Isadora, minha filha do meio. Um parto muito complicado, antes da hora, eu quase morri. Ela teve uma série de  questões que num primeiro momento deixaram toda a família muito apreensiva. Hoje é uma jovem belíssima e super saudável!“.

“Minha mãe tem duas irmãs, Tia Léa e Tia Lene (meu tio Guilherme faleceu muito jovem). Somos três irmãs, eu, Isa e Milu. Somando minhas três meninas, temos uma família basicamente feminina. E quem vive nesse universo sabe que temos dias de luta e dias de glória..rs. Por um lado, muitas TPM’s e hormônios, de outro, temos uma ligação quase que mediúnica uma com a outra. Minhas irmãs participam diretamente da educaçao das minhas meninas. Somos muito ligadas e o amor nos mantêm unidas, fortes e companheiras. Todas nós. Minha mãe é uma mulher que mantêm essas ligações de afeto. Estamos todas ao seu redor. Minha avó paterna também tem uma participação muito forte na criação desse vínculo”.

Ela e o marido estão juntos há 17 anos. “Juntos, temos a Olivia, filha caçula, mas ele se considera pai da Duda e da Dora. Viu crescerem, ajudou no colégio, com o primeiro namorado, deu colo…enfim. O mais bonito de tudo isso é que o amor de mãe, por ser tão verdadeiro, irradia e contamina tudo que existe ao redor. Meu amor pelas minhas filhas é tão grande e intenso que penso que estou nessa vida e fui mãe para me tornar alguém melhor para o mundo. Com certeza, por elas, me tornei e me torno, todos os dias, uma pessoa infinitamente melhor do que já fui um dia. Tem uma frase que transmite exatamente o que quero dizer com “ser melhor”:


O coração das mães é um abismo no fundo do qual se encontra sempre um perdão.” Honoré de Balzac.

Espero que você se inspire nessa história e comemore muito o Dia das Mães !

%d blogueiros gostam disto: