Low Carb afinal funciona?

Por Sabina Donadelli

Você também vive se perguntando se a dieta low carb funciona?

No Jornal de Medicina da Nova Inglaterra, um importante estudo provou que a Low Carb é capaz de reduzir o peso até 3x mais rápido do que outros métodos de emagrecimento. Foram divididos 132 indivíduos com IMC acima de 43, sendo alguns fazendo uso da Low Carb e outros da Low Fat (dieta com baixa ingestão de gordura). Resultados: o grupo low carb perdeu uma média de 5,8 kg enquanto o grupo low fat perdeu 1,9kg.

Por que emagrece tanto?

É simples! Ao diminuir a quantidade de carboidratos que consumimos, os níveis de insulina são reduzidos. A insulina é um hormônio que estimula o acúmulo de gordura e inibe a sua queima. Portanto, uma vez que temos níveis baixos desse hormônio devido ao baixo consumo de carboidratos, nosso corpo fica naturalmente mais disposto a queimar gorduras!

Mas, vale a pena lembrar, o alto consumo de carboidratos não está relacionado diretamente apenas ao ganho ou a perda de peso. Todas as doenças crônicas não transmissíveis (problemas de colesterol e triglicérides, ácido úrico, sintomas de TPM e menopausa, doenças reumáticas, fibromialgia, entre outras) estão relacionadas ao alto consumo de carboidratos e ao consumo de carboidratos “brancos” e de açúcar.

Observações:

1 – para que sua dieta tenha um resultado ainda mais efetivo você pode trocar os pães, sequilhos, pão de queijo, por mandioca, mandioquinha, cará, inhame, batata-doce ou banana da terra assada com azeite e sal ou geleia sem açúcar. Os tubérculos são fontes de carboidratos mais saudáveis que os grãos.

2 – as melhores frutas são as menos doces: ameixa, kiwi, melão, maçã, pera, as frutas silvestres (morango, mirtilo, amora, framboesa), goiaba e mamão, são mais interessantes que banana e manga, por exemplo.

3 – pode parecer estranho mas o consumo de proteína animal no jantar não ajuda muito o regime hormonal natural… e, por tanto ela deve ser evitada. Melhor partir para os carbos como os tubérculos, ou a proteína vegetal sem exagero.

4 – esqueça de uma vez por todas a história de comer de 3 em 3 horas. É preciso comer quando se está com fome. Então, pular o café da manhã e tomar apenas o lanche pode ser uma boa se você não acorda com fome. Ou mesmo pular o lanche e ir direto para o almoço se o intervalo entre café e almoço é de 4 a 5 horas.

5 – entender e respeitar o próprio corpo é um exercício de autoconhecimento. É preciso, com delicadeza, experimentar e descobrir o que funciona para você. Contar com ajuda profissional pode abreviar muito esse caminho.

Sabina Donadelli : Nutricionista com formação em Dietoterapia da Medicina Tradicional Chinesa, especializada em pacientes oncológicos e coordenadora de grupos de saúde e qualidade de vida.

%d blogueiros gostam disto: