Empreendedoras do ABC contam a experiência de abrir o próprio negócio

Por Carolina Bozzi

De acordo com uma pesquisa realizada no ano passado pela FIRJAN – Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro -, dois em cada três brasileiros de 25 a 35 anos pretendem trabalhar por conta própria, abrindo uma empresa ou comércio.

No ABC, temos alguns exemplos de mulheres que se tornaram empreendedoras na juventude. O mais interessante é que elas abriram mão de trabalhar na área de formação para se tornarem empresárias.

No caso, a Aline Costa, é formada em direito, a Erika Witkowski, é engenheira ambiental, a Joanna Cougo é engenheira química, e a Paula Maldonado e a Luciana Maciel herdaram da família uma receita de bolachas caseiras deliciosa e com isso, fundaram a “Dona do doce”. São profissões totalmente diferentes, mas, ambas com algo em comum: se tornaram donas do próprio negócio.

Para entendermos melhor sobre o assunto, as empresárias deram uma entrevista para Vida Prática contando um pouco da trajetória delas. Confira!

Aline tem 30 anos e é proprietária de uma das franquias da Casa X, um espaço de festas infantis que conta com a magia do mundo da Xuxa. A franquia de Aline, localizada na Rua Dom Pedro II, número 3161 em Santo André, tem 1 ano e pouquinho. Na época que inaugurou o espaço, Aline tinha 29 anos, a empresária relata que a ideia de abrir o próprio negócio surgiu devido o desejo que ela tinha de mudar de profissão. “Gostávamos muito do universo de buffets e em uma pesquisa na internet achamos o projeto da Xuxa”, revela.

Com relação às dificuldades para abrir o espaço, a jovem conta que foram apenas questões burocráticas, como a demora em obter retorno dos órgãos públicos sobre a documentação.

Sobre o planejamento para trabalhar com o buffet, Aline revela que durou algumas semanas. “Nós queríamos um ponto de grande impacto e circulação, além de nos estruturarmos financeiramente para o início da obra que era muito grande e a estratégia adotada para o empreendimento seria atingir mães e crianças da região do ABC, mostrando que a Casa X veio para inovar no ramo de festas com mais magia e encantamento”, conta Aline.

A Casa X Santo André, atualmente conta com mais de 30 funcionários freelancers e quatro efetivos. “Estamos evoluindo a cada dia atrás do retorno do nosso investimento e estamos muito satisfeitos com a aceitação do público com esse formato de festas, que traz uma recreação diferenciada”, relata.

Já Erika Witkowski, tem 34 anos e é uma das proprietárias da escola de educação infantil Probei, que tem duas unidades localizadas no bairro Assunção, em Santo André. Ela revela que quando se tornou proprietária da Instituição, tinha 27 anos e que, no início enfrentou dificuldades com o investimento. “Eu tinha pouco dinheiro para investir, não era minha área de atuação – apesar de ser um sonho antigo -, era uma escola quase falida, estrutura física em péssimo estado e tinha funcionários mal capacitados”, conta.

Mas, a empresária revela que havia pontos positivos para entrar de cabeça no negócio. “Sempre foi um sonho e assim que surgiu a oportunidade de ter uma sócia, eu fui atrás de viabilizar a ideia e houve alguns pontos positivos: a escola está em uma excelente região, minha sócia tem formação na área de educação, houve força de vontade, foco e persistência de ambas”, afirma.

Sobre o planejamento para abrir a escola e retorno financeiro conquistado no início, Erika revela que no primeiro ano de sua gestão, todo o lucro foi utilizado para investimentos na escola. “A estratégia principal sempre foi nunca deixar de investir, inovar e buscar o melhor que o mercado tinha para oferecer dentro das nossas possibilidades”, explica.

A empresária acredita que todo investimento traz um bom retorno para os negócios.“É  um fluxo de sucesso feito com cautela e de acordo com as reais necessidades”, acrescenta.

Paula Maldonado e Luciana Maciel são sócias e proprietárias da bolacharia gourmet “Dona do doce”, em São Caetano do Sul/SP. Na época, há cinco anos, as amigas, estavam em busca de um projeto que despertasse paixão e fosse algo prazeroso de trabalhar. Mas, qual seria o diferencial das bolachas? Elas queriam lançar um produto que lembrasse o gosto de infância, como aqueles doces caseiros feitos pelas nossas avós. E foi justamente com a receita da avó de uma delas que os produtos se tornaram um sucesso, o que faz com que atualmente sejam produzidos dez sabores fixos, que conseguiram conquistar até as celebridades! Thais Fersoza, Ticiane Pinheiro, Vera Viel e Karina Bacchi são algumas das clientes famosas da bolacharia.

Mas, Paula relata que, no início do empreendimento, elas não possuíam uma estrutura, mas que com o tempo foram expandindo o negócio. “Começamos aos poucos, um passo de cada vez, e quando vimos que não estávamos dando conta da demanda – porque o espaço era pequeno – mudamos para um ateliê maior. Primeiro para um de 50m² e agora para um de 500m²”, revela.

Mas, a empresária conta que para se tornar dona do próprio negócio, além das dificuldades, houve muitos pontos positivos. “Para abrir um negócio novo é preciso ter força, garra, persistência, determinação e principalmente muita vontade para fazer dar certo”, explica.

Outro exemplo de empreendedora é a Joanna Cougo, proprietária da unidade do “Escape 60” em Santo André, um espaço de entretenimento que proporciona uma experiência entre amigos e familiares – adultos e crianças – em um ambiente desenvolvido para aumentar as habilidades e inteligências de maneira lúdica.

Joanna abriu a franquia há quase dois anos e afirma que a maior dificuldade para ser dona do próprio negócio foi toda a parte burocrática. “Após a escolha do ponto comercial e a reforma, foram pontos de grande trabalho e dificuldades inesperadas, no entanto, superadas”, afirma.

A empresária revela que a ideia de investir em um espaço no ABC surgiu após ela ter vivenciado a experiência em uma das salas em São Paulo. “A região do ABC, por conter um dos polos industriais mais ricos do país, bem como de publico morador com potencial poder aquisitivo, foram os fatores determinantes para a abertura do meu negócio”, relata.

Joanna conta que um dos pontos positivos em ser dona de uma das franquias foi o fato de o “Escape 60” ser um negócio extremamente inovador. “Lidar com um serviço que transforma a vida das pessoas por meio de uma vivência lúdica, imersiva e de trabalho em equipe é muito satisfatório”, acrescenta.

Com relação às estratégias para empreender, Joanna afirma que optou por fazer parcerias com estabelecimentos, participar de grupos de networking, atender escolas da região e fazer, em parceria com a prefeitura de Santo André, o primeiro desafio de rua do Brasil. “Também estamos dando foco para atender a demanda do mercado corporativo com o desenvolvimento de equipes por meio da ferramenta escape 60”, revela.

Abrir um negócio em época de crise

Segundo Aline, da Casa X, o espaço não sofreu com os efeitos da crise no Brasil. “No nosso ramo não foi muito atingido, porque os pais sempre tem o sonho de realizar a festa do filho (a) e com isso, o que fazemos é facilitar o pagamento, dar descontos, cortesias e atrativos para que o cliente consiga ter uma linda festa com bom custo benefício”, acrescenta.

Para Erika, os desafios que a crise traz para a escola Probei é a manutenção de preços acessíveis. “Nós sempre trabalhamos com um valor flexível e o parcelamento tem sido uma estratégia para manter os nossos clientes”, revela.

Já as proprietárias da “Dona do doce”, dizem que é preciso ter sabedoria para enfrentar os momentos bons e ruins. “A crise existe para aumentar a nossa criatividade. A ‘Dona do doce’ pode ser usada para presentear, como lembrancinha de eventos, para inúmeras situações e se a pessoa não pode comprar o pote mais caro, temos outras opções que cabem no bolso”, afirma.

Para a Joanna, do “Escape 60”, a crise e as dificuldades negócios fazem com que haja crescimento e uma ampla visão de onde a empresa pode se encaixar. “Fazer mais com menos e maximizar o potencial da sua equipe bem como dos recursos, é um fator determinante para que o negócio seja sadio”, finaliza.

Serviço

Se você ficou interessado(a) em conhecer a Casa X para realizar festas, o endereço é Rua Dom Pedro II, 3.161 – Bairro Campestre – Santo André/SP. O espaço abre de segunda à sexta das 9h às 19h e aos sábados das 9h às 12h. O telefone para contato é (11) 2325-2515 e o e-mail é santoandre@casax.com.

Site: www.casaxsantoandre.com.br

Facebook: casaxsantoandre

Instagram: @casaxsantoandre

 

A escola Probei tem duas unidades:

Unidade I – Av. Dr Antonio Álvaro, 467 – Vila Assunção – Santo André

Telefone: 4427-3094

Unidade II – Rua Rejente Feijó, 40 – Vila Assunção – Santo André

Telefone: 4432-1146

O site é www.escolaprobei.com.br

Facebook: Escola de Educação Infantil Probei 

Instagram: @escolaprobei

 

A “Dona do Doce” está na Rua Piauí, 985 – São Caetano do Sul

Telefone: 2311-1530 ou 95496-7488 (WhatsApp)

O site é: www.donadodoce.com.br

Facebook: DonadoDoce

Instagram: @donadodoce

O horário de funcionamento é de segunda à sexta é 9h às 18h e aos sábados das 10h às 14h

 

O “Escape 60” está na Rua das Figueiras, 1389 – Jardim – Santo André/SP.

Para agendamento de salas e mais informações, acesse: www.escape60.com.br ou acompanhe pelas redes sociais. Facebook: Escape 60 oficial ou Instagram @escape60oficial

O telefone para contato da Unidade em Santo André é: 2896-7708.

#escape60 #escape60abc #escape60santoandre #escape60sa #casaxsantoandre #casaxoficial #casax #escolaprobei #probei #educaçãoinfantilprobei #donadodoce #bolachasdonadodoce #bolachariadonadodoce #bolachinhasdonadodoce

 

%d blogueiros gostam disto: