Conheça as donas da melhor bolachinha gourmet de São Paulo

Por Maria Cláudia Aravecchia Klein
Fotos: Samara Alcantara do estudiodule

As bolachinhas gourmets da Dona do Doce começaram a ser feitas na casa da Dona Isabel, avó de Luciana Maciel, uma das gestoras da marca. “É uma receita familiar, que aos poucos foi conquistando o paladar de amigos e conhecidos. Tudo começou no improviso na casa da minha avó e com a ajuda da minha mãe, Dorinha. Parte da família ajudava na produção e outra nas entregas. Aos poucos, as encomendas aumentaram e o espaço ficou pequeno”, conta.

A bolachinha que tem mais de 13 sabores já, tem como carro-chefe o doce de leite

 

O sabor caipirinha é muito apreciado pelos homens e nessa embalagem de couro, se torna o presente mais que perfeito para eles em qualquer ocasião. E, para gente também: quero esse revisteiro!!!

Antes de decidir realmente investir na bolacharia, Luciana e Paula Maldonado, sua sócia, tentaram outros negócios concomitante às carreiras de professoras, porém nada foi tão apaixonante. Sim, ambas davam aula. “Já tínhamos lidado por um bom tempo com as aspirações, desafios e realizações da licenciatura. Deixamos de lecionar praticamente juntas para entrar de vez no negócio de bolachas. E daí por diante, começou realmente a profissionalização da marca. Procuramos cursos, palestras, o Sebrae, consultorias e nos preparamos para um passo maior que estava por vir: a abertura da loja”, explica Paula sobre o inicio da história de empreendedorismo das duas.

Os produtos sempre em primeiro lugar!!! Atrás, Luciana Maciel à esquerda e Paula Maldonado, à direita.

Luciana Maciel conta que sempre sonhou com uma loja na Oscar Freire

“A primeira vez em que estivemos no local onde seria nossa primeira loja, com showroom e espaço para a produção, olhamos uma para a cara da outra e falamos: que loucura, meu Deus! Uma mistura de medo, ansiedade e incertezas, mas fomos em busca de consultores e especialistas que nos ajudaram muito em cada uma das áreas, da arquitetura da loja, passando pelas embalagens até as finanças”, fala Luciana.

As bolachinhas caíram no gosto do povo e das celebridades

De uma receita simples de família, graças à muita humildade dessas sócias e aprendizado sobre os diferentes caminhos da cozinha intuitiva e artesanal, a Dona do Doce foi, aos poucos, ganhando notoriedade.

No interior das lojas, as fotos com as celebridades sempre viram um quadrinho decorativo.

E quase todo mundo tem curiosidade de saber como a Dona do Doce ficou conhecida entre as celebridades. Sim, as bolachinhas estampam feeds e stories de instagram de famosos de diferentes emissoras. “Por um acaso, algum (a) cliente nosso (a) de São Caetano presenteou à Ana Hickmann. Ela publicou nas redes sociais há alguns anos, quando nem tínhamos presença digital. O Brasil começou a nos procurar, ou seja, os pedidos chegavam de outros estados e sequer tínhamos um site ou instagram. Foi surpreendente. A partir dai, ela tornou-se cliente e sucessivamente vieram outras, que hoje são amigas muito queridas da marca, como a Sabrina Sato”, esclarece Paula, que também revela que elas não economizam no envio de press-kits para influencers e formadores de opinião.

Doce de leite é o sabor predileto

Mesmo com o sucesso de vendas das demais receitas, as bolachinhas, hoje, contam com mais de treze sabores, sendo que o doce de leite é o sabor que fez da Dona do Doce a marca mais conhecida de bolachinhas gourmet no cenário paulistano.

Elas são a grande atração em casamentos, batizados, aniversários, chá de bebê e lembrança de nascimento de filhos de famosos, como Ticiane Pinheiro, Thaeme Mariôto, Larissa Manoela, Luiza Possi, e também adoçam eventos importantes, como São Paulo Fashion Week e outros tantos do setor corporativo. Um dos maiores responsáveis por essa participação acirrada em eventos: o carrinho, que segue toda a identidade charmosa da marca.


E, por falar em produtos, elas abusam da criatividade na hora de criar as edições especiais e testar iguarias. Antes de qualquer lançamento, elas testam e levam muito em conta a opinião do consumidor final. Assim nasceram as recentes latas colecionáveis aquareladas, cuja primeira edição já esgotou faz tempo. “A coleção começou com a pintura de dois pontos adorados pelos paulistanos – Teatro Municipal e Avenida Paulista. A ideia é convidar diferentes artistas plásticos e dar continuidade, pois os clientes amaram e querem os próximos itens colecionáveis”, diz Paula.

Elas me mostraram todas as embalagens e produtos e contaram as histórias por trás de cada um deles.

Doce Folha: folha de chocolate belga tamanho família, com a crocââância das bolachinhas e da castanha de caju, irresistível! Em dois tamanhos: mini e essa barra gigante para ser deliciada por toda família.

Foi da mesma forma, que nasceram outros produtos, como a caixa personalizada com 12 sabores, intitulada ‘Sabores que Contam Histórias’; o Kit de Rechear e o Kit Kids, com todos os apetrechos para crianças e adultos rechearem suas próprias bolachinhas; produtos sazonais como ovos de páscoa, panetones; criações a partir da receita da bolachinha como a Tortinha da Vó (nos recheios de doce de leite com nozes, brigadeiro, três leches)  e o Doce Folha, uma folha de chocolate belga tamanho família, com a crocââância das bolachinhas e da castanha de caju, irresistível!

A avó e a mãe de Luciana cuidam diariamente da produção das bolachinhas

“Não dá para sair criando um monte de receitas. Respeitamos a receita tradicional da bolachinha em cada um dos produtos, pois a ideia é fortalecer o conceito desse sabor, de que ele realmente remete à memória, às boas lembranças, ao aconchego e à receita criada pela minha avó”, conta Luciana.

Elas chegaram à Oscar Freire

Antes de chegar à uma das ruas mais cobiçadas de São Paulo, elas testaram. E fizeram aquilo que está no mantra ou, melhor, no texto da fachada das duas lojas: “ter o dom de tanto tentar até acertar”. “Lembro que um dia, durante uma conversa nossa, ainda na casa da minha avó, falamos que ‘um dia, teríamos uma loja na Oscar Freire'”, lembra Luciana.

Fomos lá conferir de perto o layout da nova loja e ficamos encantadas com o novo conceito

Visionárias, boas estrategistas de metas, markkkketeiras? Sim e também persistentes. As duas sócias que têm uma sintonia absurda, fizeram muitas ações na Oscar Freire de degustação com lojas e espaços parceiros, para testar a aceitação e cair ainda mais no gostinho dos consumidores. E conheceram cada ponto dessa rua movimentada até encontrar o imóvel perfeito.

Registrando cada detalhe para gravar tudo para o pessoal do instagram.

A recepção segue o estilo vintage ou retrô-chique, respeitando a paleta de cores da identidade visual da marca.
E cada cantinho, quadro, objeto conta um pouco dessa história apaixonante de empreendedorismo feminino.

Paula e Luciana: duas empreendedoras pé-no-chão e que dão passos muito bem planejados. Hoje, elas contam com mais de 40 colaboradores, entre funcionários diretos e indiretos

“Como a produção está em São Caetano, permitindo o abastecimento diário, o novo espaço precisava ter vaga de estacionamento, recepção convidativa e um show-room. Não foi fácil”, diz Paula sobre essa loja-conceito, que pode sim, futuramente ser a grande inspiração para a expansão do negócio para outras cidades do Brasil. Será que só do Brasil? Eu, sinceramente, espero que não! O mundo precisa provar dessa bolachinha!

Quer saber mais? Dona do Doce inaugura loja conceito na Oscar Freire 

www.donadodoce.com.br
Instagram: @donadodoce
Facebook:donadodoce

Fotos: Estúdio Dule
www.estudiodule.com.br
@estudiodule
@samara.living
Tel. (11): 99799-9133

%d blogueiros gostam disto: