As 5 principais dúvidas sobre abdominoplastia

Por Dr. Pedro Lozano

A abdominoplastia é um procedimento cirúrgico que remove o excesso de pele e gordura. Este procedimento tem como consequência a restauração dos músculos do abdômen que estavam enfraquecidos ou separados, sendo possível assim alcançar novamente um contorno abdominal mais firme e suave, o que nem sempre se conseguiria apenas com exercícios físicos e uma dieta balanceada. O cirurgião plástico Pedro Lozano, integrante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, tira as principais dúvidas sobre o assunto.

Quais são as indicações?

Após uma grande perda de peso ou depois de algumas gestações, o abdômen acaba ficando com excesso de pele e flacidez que, na grande maioria das vezes, só pode ser removida por meio da abdominoplastia e, modernamente, associada à lipoaspiração. Ao remover cirurgicamente o excesso de pele e gordura e se fazer a plicatura da musculatura reto abdominal – “amarração dos músculos”, essa região enfraquecida da parede abdominal, volta a ganhar tônus e força.

Quais os benefícios?

Os músculos abdominais voltam a ser reposicionados e as hérnias, por exemplo, podem ser corrigidas, proporcionando melhoria da dinâmica muscular e benefício tanto postural quanto estético.  Pacientes com dor nas costas, sobrepeso e hérnia umbilical também tiveram melhora significativa nos sintomas funcionais da dor lombar.

O que se sabe agora é que estes procedimentos também podem ser realizados para reverter outros problemas. De acordo com um estudo recentemente publicado pela Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos, cirurgiões australianos e ingleses comprovaram que pacientes acima de 40 anos e com antecedentes de partos normais e incontinência urinária tiveram melhoria significativa da perda de urina após a abdominoplastia.

Além da estética, quais aspectos podem melhorar?

Mulheres que tiveram partos normais podem desenvolver IUE – Incontinência Urinária por Esforço, onde acontece perda involuntária de urina ao espirrar, tossir ou realizar algum esforço físico. Nesses casos, ao retirar o excesso de tecidos moles na região pubiana, a cirurgia melhora o peso sobre a bexiga e reposiciona o ângulo da uretra, o que consegue atenuar consideravelmente os sintomas da IUE.

Com isso, ficam bem claros os reais benefícios físicos e emocionais que uma cirurgia plástica pode proporcionar, deixando os pacientes além de mais bonitos, mais saudáveis, confiantes e felizes.

Como é o pós-operatório?

A recuperação, como em qualquer cirurgia requer alguns cuidados. A alta acontece entre 2 a 4 dias, dependendo do conjunto de procedimentos feitos na mesma cirurgia. No pós-operatório é recomendado repouso, principalmente nos primeiros 10 dias. Os cuidados devem se estender a até dois meses, conforme avaliação médica.

Uma cinta modeladora é recomendada por cerca de oito dias sem retirar nem mesmo para tomar banho, além da meia de compressão. Após esse período, pode-se tirar para higienizar a cicatriz e para o banho.

Quando retornar ao médico?

É normal sentir dor abdominal que pode ser aliviada com o cuidado correto na postura, se atentando sempre às orientações médicas para o pós-cirúrgico. O médico sempre avalia de acordo com cada caso a necessidade de medicação e quando é preciso retornar ao consultório. Caso o paciente note qualquer sinal fora do comum, como dores muito fortes que não amenizam com os analgésicos, manchas de sangue ou amarelas no curativo, dificuldade de respiração, febre ou cansaço excessivo é preciso consultar o profissional que fez a operação.

Pedro Lozano, integrante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, possui graduação  em Medicina pela Faculdade de Medicina de Botucatu – Universidade Estadual Paulista (UNESP),Residência (Especialização) em Cirurgia Geral: Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP, Botucatu,  Residência Médica (Especialização) em Cirurgia Plástica pela Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), Título de Especialista em Cirurgia Plástica: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBCP, é Professor de Habilidades Cirúrgicas da Universidade Cidade de São Paulo – (UNICID).

CRM-SP: 111.967  Cirurgia Plástica RQE: 44244

Diretor e responsável técnico da Clínica Vix – Medicina & Saúde, o cirurgião preza pelo bem estar e satisfação de seus pacientes, para isso utiliza as técnicas mais adequadas a cada caso – realizando assim, intervenções estéticas com segurança e precisão. Entre os hospitais de atuação estão o Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Hospital São Luiz e Hospital Santa Catarina – todos na cidade de São Paulo.

cirurgia plastica cirurgião plástico

%d blogueiros gostam disto: