Ansiedade e Síndrome de Burnout disparam na frente como as doenças do século

Por Maria Cláudia Aravecchia Klein

Anteriormente, até bem pouco tempo, a depressão era a doença do século. Agora, com o comportamento do usuário fixo na sua interação nas redes sociais, nas metas inatingíveis do trabalho, na melhora da crise econômica, no excesso de informação e na sobrecarga de compromissos diários, o problema já está acarretando em características patológicas. Basicamente, corpo e mente estão sentindo – na pele – os efeitos nocivos do excesso de ansiedade.

E, junto com ela vem também: inquietação, dificuldade de concentração, sensação de cansaço, dores de cabeça e nas costas – como se aquela japonesa do filme japonês “O Grito” estivesse literamente sobre à sua cabeça, insônia, estresse permanente, solidão, depressão e por ai vai.

Para você ter uma ideia, no Brasil, o transtorno de ansiedade já atinge 9,3% da população. Essa sinergia do pensamento acelerado foi retratado até em um documentário da Netflix – Heal (O Poder da Mente), que mostra a forte ligação entre a saúde física e mental. São histórias e relatos bem interessantes de líderes espirituais, médicos e doentes crônicos.

Além das tradicionais doenças que afetam a mente do trabalhador, como a depressão, o pânico e a ansiedade generalizada, uma outra patologia vem atingindo de forma brutal os brasileiros. É a Síndrome de Burnout, mais conhecida como Síndrome de Exaustão. Segundo uma pesquisa realizada pela International Stress Management Association (Isma), cerca de 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros sofrem com o problema.

Entre os sintomas mais marcantes da Síndrome de Exaustão Profissional estão a despersonalização, seguida da fase de sentimento de incompetência e inadequação para o trabalho – fase na qual o trabalhador passa a duvidar de sua capacidade de realizar as mais simples tarefas, não conseguindo mais se adequar a organização, costumando ainda adotar uma postura cínica e insensível perante colegas de trabalho e ao próprio patrão.

Além de consultas com psicoterapeuta, psiquiatra e uso de medicamentos, há métodos naturais que podem ser eficientes na prevenção de crises de ansiedade e até mesmo da Síndrome de Burnout, como a prática de meditação e yoga, que auxiliam até mesmo na insônia. A prática de atividades físicas em conjunto com uma alimentação balanceada em nutrientes também auxiliam no tratamento.

%d blogueiros gostam disto: