Assim comecei a correr: A Penélope Charmosa das corridas de ruas

Por Maria Cláudia Aravecchia Klein

Brincadeiras à parte, mas quem vê Lucimar Maria da Silva Possar em uma prova de corrida de rua lembra da personagem clássica dos desenhos de Hanna Barbera.

No quesito corrida de rua, toda vez que eu me atrevo a correr percursos mais longos ou sob um sol escaldante, o meu cabelo vira um ninho de mafagafos. Quando encontro corredoras como a Lucimar Maria da Silva Possar , 42 anos, cabeleireira, tenho a certeza que minha vaidade é zero.

A Lucimar faz parte daquele grupo seleto de corredoras que chega impecável ao final de uma prova e sobe ao pódio já com a roupa seca, o rabo de cavalo impecável e sem aquele suor escorrendo pela testa. Vaidosa por natureza e pela exigência da profissão, ela está sempre preocupada com a aparência e adora combinar looks. A cada dia ela está com uma produção nova para os treinos ficarem mais leves e agradáveis. 

Nosso primeiro bate-papo começou após um treino rotineiro de 15 Km, quando ela começou a contar um pouco sobre a sua história. Natural da cidade de Caruaru, PE, ela vive em Santo André, com seu marido e seu único filho, Rafael Silva Possar, estudante de Educação Física. 

Filha de Cosmo Ribeiro da Silva e Maria Luzia da Silva, Lucimar tem quatro irmãs: Josefa, Luciene, Luzia e Lucélia, e três irmãos: Rinaldo, George e Jeferson. Antes de ser atleta amadora, Lu, como é chamada pelos amigos, começou como dançarina. “Na infância, eu frequentava as aulas de jazz, e na adolescência já fazia academia, o que incluía outras atividades além da dança, como bike e musculação.  Foi nessa época que comecei a participar de concursos de modelo e a criar uma rotina de cuidados com o corpo”, lembra ela.

Lucimar, entre o filho Rafael, e o marido, Celso. Família Possar: juntos no esporte e nas provas de corrida.

Mas, como acontece com grande parte das mulheres, após o nascimento do filho, Lucimar sofreu com o aumento de peso. “Como já gostava, passei a ir à academia com mais disciplina. Foi em 2006, quando mudei para uma casa bem próxima ao clube do qual éramos sócios que iniciei nas caminhadas. Porém, nada de reduzir peso. Aproveitei a pista de atletismo em volta do campo de futebol e arriscava os primeiros ‘trotinhos’. Aos poucos, fui pegando gosto e mesmo com sensação de cansaço, já sentia aquela satisfação de pós-treino. Sentia que já começava a dar resultados na balança e comecei a perder os quilos extras. Isso me animou!”, fala Lucimar.

A primeira corrida dela aconteceu no dia 25 de novembro de 2007. Uma prova de 10 Km em Santo André. “Foi paixão à primeira vista. Daí em diante, não parei mais. Logo, comecei a incentivar meu marido, que começou nos ‘trotinhos’ também. Foi gostando e fez sua primeira prova de 10 Km um ano depois”, conta ela sobre a estreia do casal no universo das corridas de rua. Hoje, ela e o marido Celso Ricardo Possar, mecânico de manutenção, colecionam inúmeras medalhas e troféus. 

Com uma agenda cheia de clientes de cabelo, estética e manicure, Lucimar, ainda, consegue cumprir uma verdadeira maratona de treinos semanais. “Minha rotina de treino de corrida acontece de terça a domingo, com musculação três vezes na semana. São planilhas semanais, com rodagens e treinos intervalados”, conta ela.

Disciplinada e amante dos esportes, ela afirma não ter dificuldade de acordar cedo. “E sabe do que mais gosto? Adoro levantar de domingo de manhã – faça chuva ou faça sol – e sair para correr ou participar de uma prova”, desabafa Lucimar, que um dia antes da prova, procura dormir cedo e ficar bem tranquila. Em virtude disso, alguns alimentos e bebidas já foram abolidos do seu cardápio há tempos, como álcool e refrigerante.  “Só bebo água mineral e água de coco. E, sobre me manter no peso? A corrida me deixa com o peso que eu gosto, e faço acompanhamento com nutricionista uma vez por mês”, conta ela que só nesses últimos dois meses foi campeão da W Soul Race, campeã da corrida do Centro Histórico, vice-campeã da ABC Destak, quarta colocada da prova do Clube Atlético Aramaçan, vice-campeã como associada na mesma corrida, terceira colocada na Night Run, medalha de bronze nos 5 mil metros do estadual de São Paulo, medalha de bronze nos 400 m, ou seja, praticamente em todas as provas das quais ela participa, sobe ao pódio. 

São quase dez anos de corrida e treino.  Para esse sucesso, todos os membros dessa família seguem à risca o planejamento, com muita dedicação e esforço para chegarem às vitórias almejadas. “Aqui não existe desarmonia, pois eu e meu marido damos apoio um para o outro. E meu filho, além de correr, é fisiculturista. Somos uma família fitness”, brinca ela que diz que a corrida ampliou ainda mais a rede de amigos, pois a cada prova, novas amizades surgem. 

Até o momento são 137 provas, desde 2007 até a atualidade, sendo 62 pódios entre categorias gerais, ou por idade.

“A satisfação e a gratidão são imensas por fazer parte de um esporte tão maravilhoso como é a corrida de rua. Amo tudo isso!”, conclui a atleta amadora. 

%d blogueiros gostam disto: